Ah, sim, continuando a crônica dos meses que passaram: em Fevereiro, três dias de reuniões em Oxford, para tratar de estátuas antigas. Algumas observações:

1. O terminal 5 de Heathrow é realmente espetacular, quando não perdem sua mala.

2. Oxford não muda, e até o pessoal da biblioteca continua o mesmo. O que mudou: eu me senti muito mais velho, vendo aquela garotada toda andando pela cidade à noite. O que melhorou: as opções para comer.

3. Ponto alto de minha estadia: como a viagem foi organizada pela universidade, fiquei acomodado no Trinity College. Nunca fui tão bem tratado naquela cidade: ao invés de um quarto, me deram um apartamento com lareira e tudo, com vista para o jardim (ainda com um pouco de neve!) do college.

Verdade seja dita, eu adoro aquela cidade: a combinação de edifícios antigos e de vida universitária é imbatível. Oxford é uma cidade relativamente pequena, mas quando você está ali realmente você se sente no centro do mundo: nenhum outro lugar tem tantos especialistas no período em que eu estudo, e todos eles fazem força para ser (ao menos parecer) simpáticos e accessíveis. Mesmo Heidelberg, com todo o prestígio e recursos, acaba parecendo provinciana.