Estão fazendo obras aqui no prédio do departamento, e acho que isso ilustra muito bem o quanto a combinação dinheiro-arquitetura moderna-falta do que fazer pode ser nefasta. O prédio, Marstallhof, era usado como o estábulo real durante boa parte da história da cidade. Trata-se de um edifício construído ao redor de um pátio gramado (tem uma vista muito legal aqui), com o que resta das estruturas medievais (nenhuma idéia de data, me desculpem!) é usado para escritórios e um dos bandejões da universidade (muito bom, aliás). Ou seja, 3 quartos do edifício são lindos e têm uma fortíssima marca romântica, ilustrada em desenhos e aquarelas. Mas o um quarto restante foi destruído no final dos anos 60, e substituído por um edifício monstruoso feito de concreto, vidro, espaços desperdiçados e muito calor. Mas agora estão fazendo obras no pátio central: o gramado foi destruído, a área pavimentada foi demolida, máquinas e guindastes e operários correm de um lado pro outro. Isso começou 6 meses atrás, e agora estamos próximos do fim, e já é possível ter uma idéia de como isso vai parecer: como se não tivessem feito nenhum trabalho. Nada mudou. Até o material é o mesmo.

Não sei se isso faz parte de algum projeto para dar emprego para universitários e pós-doutorandos, uma metáfora do trabalho que fazemos no departamento: usamos muito dinheiro, muito material, demolimos o que encontramos pela frente, acreditamos que fazemos uma grande contribuição para a comunidade, mas no fundo permanece tudo na mesma…