Hoje de manhã, no ônibus, vi algo que não esperava fora de Niterói, a cidade onde urubu voa fazendo acrobacia pra chamar atenção (como diria o Stanislaw). No meio do trajeto, o motorista parou num ponto de ônibus, se evantou, saiu do coletivo, esperou o sinal abrir, atravessou a rua, foi à farmácia, pegou a encomenda da esposa e voltou. Isso é algo que só me acontecia no saudoso 47 da viação Araçatuba, o ônibus com maior coeficiente de moça bonita do estado do Rio, e na época o único que tinha rádio (permanentemente sintonizada na 98 fm). Bons tempos.