… versão Afeganistão. Resenha do livro In the Graveyard of Empires, de Seth Jones, cientista político da RAND Corporation no New York Times. Como quase tudo que diz respeito ao fiasco das operações militares americanas nos anos Bush II, a conta é colocada na administração do Pentágono de Donald Rumsfeld: a decisão de mandar poucas tropas, a falta de investimentos e gestão na reconstrução do país, e o início das operações no Iraque são as causas principais. Permitiram a reorganização do Taliban, da Al-Qaeda, o envolvimento do Paquistão, a perda de apoio popular, a perda de apoio dentro da OTAN, etc etc. Eu concordo com tudo, mas tenho uma dúvida. Será que estas análises não são excessivamente confiantes que seguindo o recituário que conhecemos agora as coisas teriam dado certo? Que Rumsfeld e cia estavam errados desde o início é um fato, e muita gente boa já havia avisado. Mas será que uma intervenção nos anos Clinton, ou Obama, ou Roosevelt, teria tido resultado diferente? O autor (e  a maioria dos comentaristas) parte do princ[ipio de que sim, mas não custa lembrar que invadir o Afeganistão é uma coisa, controlar o país e dar uma cara civilizada ao governo é algo bem diferente. Britânicos e Russos fizeram o primeiro, falharam no segundo.