Estou neste momento trabalhando em um projeto para financiamento conjunto da FAPESP e do DFG (governo alemão). Se der certo o futuro sorrirá mais próspero.  A idéia foi do de um colega alemão, de que estudássemos a cultura epigráfica da Itália e África no final do período romano. Estas regiões eram muito ricas na Antiguidade Tardia, as cidades eram muito ativas, e o número de inscrições latinas é enorme. Curiosamente, não existe nenhum estudo compreensivo deste material, apenas publicações localizadas.

Base da estátua de Porfírio

Nesse meio tempo estou lendo Porphyrius the Charioteer, do Alan Cameron. O livro é uma edição de duas inscrições em verso que foram encontradas no hipódromo de Constantinopla, em bases de estátuas (foto acima) celebrando um corredor de bigas (Porfírio) que por volta de 500 d.C. reinou supremo no meio atlético bizantino. O que faz a publicação ainda mais interessante, se você for chegado nestas coisas, é que os versos haviam sido publicados independentemente na  Antologia Grega (também chamada de Antologia Palatina), o que permite ao Cameron fazer um estudo excepcional da cultura literária bizantina. Quando terminar de ler, farei a resenha no Antiguidades Romanas.