A Academia Francesa acaba de anunciar o falecimento do antropólogo Claude Lévi-Strauss. L.-S. reuniu as fantásticas qualidades de errar com frequência, bolar teorias malucas mas nunca ter medo de continuar fazendo estas coisas. Apesar de reconhecidamente ser incapaz de incorporar a história (diacronia) às suas análises, é um dos poucos antropólogos que permanecem leitura obrigatória para historiadores. Eu achava, e ainda acho, que ler O Pensamento Selvagem é uma daquelas experiências que te fazem mais inteligente. Na faculdade, o mundo se dividia entre os que leram e os que não leram esse livro.