Aqui em casa existe uma disputa amistosa, mas constante, sobre quem é o maior autor da música pop. A patroa e toda a família dea são da vertente Bob Dylan/Leonard Cohen. Meu coração e minha cabeça jogam no time Bruce Springsteen/Neil Young. É possível gostar de todos eles, como no meu caso (menos do Dylan, que eu acho murrinhento), mas para mim os dois últimos são, além de fantásticos poetas, artistas que transbordam de energia (mais o Springsteen do que o Young).

Esta semana que passou David Brooks publicou a melhor descrição dos efeitos da música de Springsteen sobre seus ouvintes.  Para comemorar o final de semana (mesmo trabalhando), fica aí um vídeo de The River.