Uma notícia interessante no Paleojudaica (citando o Haaretz): Netanyahu se reuniu com Medvedev e, entre outras coisas, discutiu a entrega por autoridades russas de uma enorme coleção de manuscritos e livros que haviam sido comprados de uma família nobre russa por sionistas em 191o: antes que fossem enviados para a Palestina, a revolução chegou e a biblioteca (a segunda maior coleção judaica, depois da Bodleyan de Oxford) ficou por lá mesmo.