Subindo a Rua Pamplona, cruzando a Alameda Santos, passo por um ônibus executivo, cheio de gente que parecia ir pro trabalho, com o cartaz na frente: “Propriedade de Jesus”. Nunca imaginei que o rapture seria assim.