O que a oposição ao governo Lula e à Dilma não entende é que seus maiores inimigos parecem estar no próprio time.  Semana passada governistas e oposição aprovaram na CCJ uma proposta de Tasso Jereissati que flexibiliza a Lei de Responsabilidade Fiscal. A proposta torna possível para subsidiárias de empresas estatais se endividarem além de seu limite atual, e o mesmo para Estados e Municípios, desde que os empréstimos sejam voltados para iniciativas de melhoria de gestão pública. Como você estabelece na prática a diferença entre melhoria de gestão (e quem estabelece essa diferença) e outros gastos com computadores superfaturados, softwares (olha o Arruda aí, gente!), etc, eu não faço idéia.

Bom, um dos nomes mais importantes do principal partido de oposição acaba de detonar com uma das medidas que esse mesmo partido costuma arrotar como sendo uma de suas “realizações” no governo. E depois me vem a Míriam Leitão dizer que o governo do PT está ameaçando a estabilidade.