Quinta-feira à noite, Fluminense bem no campeonato, jogo contra Botafogo de Presidente Prudente no Maraca… ocasião perfeita para levar a patroa para o templo do futebol pela primeira vez.

E lá fomos nós, Amiano e Sra, com a companhia de Romário II e Amiano o jovem. Estaciono a algumas quadras, caminhamos por território visigodo  (a Tijuca – um amigo costumava dizer que do túnel novo até os Pirineus era a Grande Tijuca) até entrar no maracanã. Primeira surpresa, tudo show: policiais educados, segurança educada, acesso à arquibancada rápido. Vendedores só dentro do estádio, nada de bebidas alcoólicas, só guaraviton e mate leão (absinto faz menos mal pra saúde). A esposa quer ir ao banheiro, e os escudeiros já começam a dar os pêsames: ‘de lá ela volta com uma doença estranha’. Mas não, tudo muito limpo, segundo ela. A Sra Amiano quer entender mais sobre futebol, os escudeiros explicam que a Gávea é uma área onde a polícia vai ter que realizar uma UPP. Crianças cantam ‘Bruno assassino’, numa demonstração maravilhosa de como é errado levar menores de 10 anos ao estádio.

Todos estão animados, a torcida preparou um espetáculo bonito com aquelas velinhas que ficam faiscando, a patroa filma tudo. Para completar, a torcida canta pro Muricy ficar (eu explico para ela que ele é um excelente técnico, que pode ir pra Seleção), fala-se em máquina tricolor: Beletti e Deco estão chegando. Se o Fluminense vencer vira líder do campeonato. O jogo começa, jogo bom, só pressão nos paulistas. Gol do Fred, Conca está meio desligado, Fernando Henrique inspira confiança zero. Mas vamos pro topo da lista de classificação! No intervalo o time bebe o mesmo suco que a seleção bebeu no jogo contra a Holanda, fica lamentável. A liderança começa a escapar pelos dedos, o Prudente leva perigo (hahahahaha) até que faz o gol. Eu agora tenho que explicar para a patroa porque de repente todo mundo acha o Conca e o Fred uns merdas, porque o Muricy tem que sair, enfim. Coisas do futebol. Beletti tem 34 anos, Deco é português.

Hoje tem um risquinho de Sol brilhando, vamos ficar por aqui e quem sabe dar uma volta na praia. Isso é, depois de levarmos o Amianinho na peregrinação pelas casas dos parentes.