Um amigo dando um curso na pós fez um comentário muito interessante (bom, ele tem muitos outros, mas esse é que me interessa agora, vocês entenderam).  A julgar pelo que diz a mídia, o eleitor natural de Dilma, que aprova o governo Lula de maneira entusiástica, é o mesmo que nas horas vagas vai lá na igreja ou no templo ouvir padres e pastores dizerem que a candidata do PT tem um tridente escondido debaixo da cama. O exercício teórico é: será que a racionalidade econômica de quem foi beneficiado pelas políticas sociais e econômicas deste governo é mais forte do que a racionalidade religiosa do sujeito que não quer ver abortistas homosexuais e adoradores do diabo levando nossa nação rumo às trevas? Ah, se o Weber estivesse vivo…