Uma coluna muito oportuna de Fernando de Barros hoje, na Falha. Eu acho a Dilma competentíssima, e estou confiante de que ela fará um bom governo. Mas tenho dois senões:

1. Não acho que ela seja uma boa candidata. Que ela não é uma ‘candidata natural’ não é um problema, pois o Serra diz que é e e no final das contas é ainda pior candidato. Mas ela não fez currículo, não cresceu dentro do partido, dentro da política, e para mim a crítica mais certa que se pode fazer a ela é a de que ela não tem experiência política para ser presidente. Repetindo: dos dois candidatos ela é a melhor preparada, dos dois projetos de país o dela é o melhor e eu vou votar nela. Mas ela foi inventada pelo Lula. Bela invenção, mas isso tem um preço – ela não foi testada, mastigada pela imprensa, e eu acho que o pânico do início do segundo turno tem a ver com isso, quando acusações eram feitas e ‘pegavam’ (felizmente ficaram para trás). Isso vai ser um problema do PT no futuro – ou do Brasil.

2. A 4 dias do segundo turno, o site Dilma Presidente, o oficial da campanha, ainda não tem um programa de governo. Só tem uma carta bobinha do Marco Aurélio, repetindo generalidades. A melhor justificativa para votar na Dilma que eu li nessa campanha foi a do NPTO, mas mesmo ele se resume a duas coisas: falar da compêtência e seriedade pessoal dela e elogiar o governo Lula, do qual ela fez parte num posto chave. Isso não quer dizer que ela tenha o melhor plano de governo (ela não tem um plano de governo), e eu já reclamei disso aqui. Às vésperas da eleição eu continuo decidido a votar na Dilma, mas sei que em certa medida isso é uma aposta. Ela não vai fazer o mesmo governo que o Lula: o contexto político nacional é outro e a situação econômica internacional é outra. O Lula pegou o país numa situação difícil, mas num contexto internacional favorável. Ela vai pegar um país com déficits e endividamento crescentes, em um contexto internacional muito desfavorável. Achar que ela vai manter o pé no acelerador é bobagem.

Mas eu espero que alguém venha aqui e comente mostrando que eu estou errado. Apesar de votar nela, gostaria de fazê-lo sem essa sensação estranha de estar sendo irresponsável. Vou fazê-lo por causa do governo Lula, e no próximo post (quando sair, ando enrolado com meu paper) pretendo explicar porque – além de retomar o debate sobre universidades. E aqui entra o desastre da candidatura Serra: tivesse a oposição um bom candidato com um programa de governo factível, ou tivesse a esquerda outro(a) candidato(a) progressista, e meu voto certamente estaria em outro lugar. Como já esteve, poucas semanas atrás.