Merval Pereira começa a coluna de hoje elogiando Dilma pelo seu realismo, honestidade e até humildade (apesar de ele não usar esta expressão, esse é o tom da coisa): a presidente reconhece não ter o preparo intelectual de FHC e nem o carisma de Lula, mas é melhor gestora do que os dois. Ou seja, ela é mais preparada para as coisas pequenas, práticas, burocráticas.

hummmm…

Pera lá. Dilma usa categorias weberianas, o intelectual, o líder carismático e a dominação burocrática para caracterizar os três últimos presidentes (ela inclusa). Ok, não são do mesmo texto, o intelectual é uma figura central no pensamento de Weber mas não é uma forma de dominação. Mas se eu me lembro corretamente, Weber não achava a burocracia menos evoluída do que a liderança carismática. Na verdade, pensava o contrário. Alo seu Merval, dona Dilma estava sendo irônica. Mostrou que é muito bem preparada intelectualmente, apesar de não sair por aí contando vantagens (um dos pecados capitais de do ‘príncipe dos sociólogos’). e se colocou como a conclusão lógica de nossa evolução política, até agora. Fez isso mostrando que além de intelectual, é uma tremenda política, pagando tributo pro Lula ao mesmo tempo em que desvencilha o seu governo do dele – no qual ela foi chefe da casa civil, e portanto uma figura de proa na condução de diversos programas. Caramba, seu Merval, essa mulher é mais esperta do que nós dois!